Intermodal 2019 se aproxima !

Oceânica e Marin participarão mais uma vez da Feira Internacional 2019 de Logística, Transporte de Cargas e Comércio Exterior, a maior da América Latina.

O evento, que acontecerá entre os dias 19 a 21 de março, na São Paulo Expo, contará com mais de 400 marcas nacionais e internacionais de mais de 22 países de todos os modais. Serão mais de 29 mil m² de exposição e fornecedores focados em soluções de logística, transporte de cargas e comércio exterior.

Oceânica e Marin, apresentarão soluções de manobras – Centro Nautilus – uma ferramenta bastante importante e utilizada por portos, empresas de logística e pela comunidade marítima, para auxiliar as análises de navegação. Além disso, apresentarão novas soluções de monitoramento, reduzindo custos com sinalização náutica – XBUOY – e sistema de monitoramento e inteligência de tráfego portuário – LPS.

Venha nos visitar no estande 17-30.

Para mais informações e cadastro clique aqui.

II Encontro sobre Acidentes Marítimos: Operações Offshore

Ocorreu no dia 31/01/19, na cidade do Rio de Janeiro o II Encontro sobre Acidentes Marítimos: Operações Offshore, e teve como abordagem os temas sobre Medidas Mitigadoras de Prevenção e Resposta aos Acidentes Marítimos e Medidas de Fiscalização e Prevenção de Acidentes Marítimos.

Com a participação da Associação Brasileira dos Armadores Noruegueses (ABRAN), Kincaid Mendes Vianna Advogados, reconhecido como um dos mais respeitados escritórios de advocacia em Direito Marítimo, além da empresa Oceânica que disponibilizou seu Núcleo de Simulação Portuária e Oceânica – Centro Nautilus – para os eventos simulados apresentados durante o evento.

O encontro teve entre os debatedores entidades representativas dos players do setor, autoridades e profissionais com expertise em técnicas de investigação de acidentes e gestão de risco.

Oceânica fecha contrato com a Vale

O canal balizado por estas boias orienta a movimentação dos maiores navios de transporte de minério do mundo no Terminal Marítimo de Ponta da Madeira (TMPM), localizado na cidade de São Luís e parte do sistema de operações que engloba as minas da Vale no Pará e a Estrada de Ferro Carajás.

O XBUOY, sistema de monitoramento remoto baseado em sinal GPRS ou satélite desenvolvido pela Oceânica, permite desde o monitoramento de posição, até alertas de desgarre, impactos e mau funcionamento dos componentes elétricos, para que sejam tomadas medidas de forma rápida e em tempo real, reduzindo significativamente os riscos e custos de manutenção.

O TMPM é o primeiro porto do Brasil no ranking de volume de carga, com 169,8 M, e capacidade para embarcar até cinco navios de forma simultânea. Os vagões de minério são descarregados, estocados e embarcados e o balizamento é uma ferramenta essencial para a segurança das manobras.

A Oceânica, empresa brasileira que investe em tecnologia e desenvolvimento da indústria naval e portuária, oferece outras soluções de monitoramento e gestão de portos e terminais:

O LPSLocal Port System, por exemplo, que permite a gestão e acompanhamento dos principais indicadores de eficiência portuária, relacionando tais fatores com as condições ambientais durante as operações.

A empresa tem a honra de contribuir com a segurança na operação de um dos maiores portos do Brasil. http://oceanicabr.com/localportsystem | http://oceanicabr.com/xbuoy

Redução de peso de estruturas de FPSOs através de análise estrutural não linear

27º Congresso Internacional de Transporte Aquaviário, Construção Naval e Offshore
Rio de Janeiro/RJ, 23-25 de outubro de 2018
Redução de peso de estruturas de FPSOs através de análise estrutural não linear
Renato Teixeira Vargas, NEP Consultoria, São Paulo/Brasil, renato@nepconsult.com.br
Afonso André Cabrera, Oceânica Engenharia, Consultoria e Projetos, São Paulo/Brasil, acabrera@oceanicabr.com
A otimização do peso das embarcações, equipamentos e suas estruturas está iniciando um processo de valorização entre as preocupações da indústria naval. Entre as abordagens possíveis para estes estudos de otimização está a aplicação de normas e práticas recomendadas que prescrevem critérios de análise estrutural não lineares. A DNV-RP-C208 – Determination of Structural Capacity by Non-linear FE Analysis Methods – permite a deformação plástica da estrutura, e, portanto, uma possibilidade de absorção de energia superior aos limites elásticos adotados nas análises estruturais convencionais.
Com estes novos limites dos critérios de projeto podem ser construídas estruturas mais esbeltas e leves. Neste artigo foi estudada a aplicação da RP-208 à estrutura de um skid, modelado em elementos finitos de casca. A estrutura do skid foi submetida a análises lineares, em acordo com os procedimentos normalizados usuais, e estes resultados foram comparados com os resultados da aplicação dos critérios não lineares previstos na RP-208. Os resultados demonstraram a possibilidade do aumento significativo da carga sobre as estruturas utilizando a RP-208. O tema deste artigo está inserido em um estudo mais amplo sobre a redução das estruturas metálicas dos módulos topside de FPSOs, que contempla estudos de técnicas de otimização e utilização de materiais poliméricos em componentes das estruturas da plataforma.

Centro de simulação Nautilus recebe mais uma vez WTorre

Entre os dias 25 e 27 de abril a Oceânica recebeu novamente, em seu Centro de Simulação NAUTILUS, a equipe responsável pelo desenvolvimento do Porto São Luís, juntamente com representantes da Capitania dos Portos do Maranhão (CPMA), da Diretoria de Portos e Costas (DPC), do Centro de Sinalização Náutica Almirante Moraes Rego (CAMR), da Associação dos Práticos do Estado do Maranhão (APEM), da Alumar e da Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP).

Foram avaliadas e comparadas diversas alternativas de manobra permitindo determinar as estratégias de manobra ideais para a condição futura e seus limites de segurança. Foram também estudadas questões relativas à interação entre manobras simultâneas e seu impacto sobre o ordenamento do tráfego aquaviário.

A campanha foi bem sucedida, indicando que esse tipo de abordagem técnica tem resultado em ganhos de eficiência para o mercado portuário brasileiro.

A Oceânica já atuou com avaliações técnicas especializadas em maus de 40 portos e terminais no Brasil, dando suporte para demandas de aumento de embarcações, condições ambientais e segurança.

Confirma nossas outras soluções:

- Sistema de monitoramento e inteligência de tráfego portuário http://oceanicabr.com/localportsystem/

- Reduza custos com sinalização náutica http://oceanicabr.com/xbuoy/

Evento Acidentes Marítimos

Aconteceu na última sexta-feira, dia 31/08/18, um grande evento em São Paulo com a participação da ABRAN (Associação Brasileira dos Armadores Noruegueses) juntamente com a Kincaid Mendes Vianna Advogados, reconhecido como um dos mais respeitados escritórios de advocacia em Direito Marítimo, além da empresa Oceânica que disponibilizou seu Núcleo de Simulação Portuária e Oceânica – Nautilus para atividades de manobras e análise de casos.

O evento abordou Técnicas de Investigação, Gerenciamento de Risco e Cases de Acidentes. Entre os debatedores estiveram entidades representativas dos players do setor marítimo, autoridades e profissionais com expertise em técnicas de investigação de acidentes e gestão de risco.

Atenção !

Acesse aqui o material do evento, estamos a disposição para esclarecer qualquer questão.

Oceânica realizará treinamento para o Porto de São Luís

Entre os dias 25 e 27 de abril a Oceânica recebeu novamente, em seu Centro de Simulação NAUTILUS, a equipe responsável pelo desenvolvimento do Porto São Luís, juntamente com representantes da Capitania dos Portos do Maranhão (CPMA), da Diretoria de Portos e Costas (DPC), do Centro de Sinalização Náutica Almirante Moraes Rego (CAMR), da Associação dos Práticos do Estado do Maranhão (APEM), da Alumar e da Empresa Maranhense de Administração Portuária (EMAP).

Todos estiveram envolvidos na realização de mais uma campanha de simulação de manobras em tempo real, com o objetivo de averiguar os possíveis impactos da implantação do Porto São Luís na navegação e nas manobras portuárias hoje realizadas na Baía de São Marcos.

Foram avaliadas e comparadas diversas alternativas de manobra permitindo determinar as estratégias de manobra ideais para a condição futura e seus limites de segurança. Foram também estudadas questões relativas à interação entre manobras simultâneas e seu impacto sobre o ordenamento do tráfego aquaviário.

A campanha foi bem sucedida, indicando que esse tipo de abordagem técnica tem resultado em ganhos de eficiência para o mercado portuário brasileiro.

A Oceânica já atuou com avaliações técnicas especializadas em mais de 40 portos e terminais no Brasil, dando suporte para demandas de aumento de embarcações, condições ambientais e segurança.

Oceânica foi a grande responsável por etapas do projeto, construção e testes da P74

A P-74, primeiro sistema definitivo que irá produzir sob contrato da Cessão Onerosa, teve a extração do primeiro óleo nos últimos dias.

A unidade do tipo FPSO possui 326,2 metros de comprimento e 56,6 metros de largura e foi projetada para operar com capacidade para processar 150 mil barris de óleo por dia e 6 milhões de Mm3/d de gás.

Mantendo o longo histórico de projetos offshore, a OCeânica participou ativamente das atividades de engenharia nas grandes operações envolvidas até a chegada deste momento. Com grande destaque para análises estruturais, arquitetura naval, transporte dos módulos, controle de lastro, simulações real time, e operações especiais relacionadas ao teste de inclinação e à saída, planejados e conduzidos por sua equipe com extrema eficiência dentro das restritas janelas meteorológicas da região. O planejamento minucioso e condução precisa das operações gerou economias de tempo e capital durante a integração da unidade, que se destaca pelo tamanho e capacidade de produção e armazenamento.

“A correta condução dos trabalhos relacionados à arquitetura naval e estruturas é o que pode fazer a diferença entre se cumprir ou não com a expectativa de armazenamento de óleo de um FPSO. É muita responsabilidade e existe muito trabalho a ser feito. Temos orgulho de fazer parte da história offshore do Brasil e estamos prontos para suprir o crescimento do mercado com eficiência, equipe multidisciplinar, tradição e muito conhecimento técnico” afirmou Afonso Cabrera da Oceânica.

Além da performance da plataforma, a performance do estaleiro também é afetada com o desempenho dessas atividades. Procedimentos e equipamentos específicos projetados para cada operação podem maximizar a capacidade e velocidade de produção dos estaleiros.

A Oceânica, empresa Brasileira que investe em tecnologia e desenvolvimento de mão de obra capacitada localmente, possui extensa experiência em projetos de FPSO, desde a concepção do casco até operações durante a integração. Já foram mais de 25 projetos de FPSOs dentro e fora do Brasil, incluindo as plataformas Replicantes e da Cessão Onerosa da Petrobras.

Oceânica participa mais uma vez da OTC – Offshore Technology Conference

Acontecerá em Houston, USA, entre os dias 30 de abril e 3 maio a edição 2018 da feira OTC – Offshore Technology Conference. Experts da indústria offshore do mundo todo estarão presentes no evento.

A Oceânica estará presente mais uma vez no evento juntamente com a HBR, outra empresa da Holding Brasil. Serão apresentados os últimos projetos e também os divesos serviços de engenharia e gerenciamento de projetos navais e offshore, como hidrodinânica, arquitetura naval, sistemas de posicionamento, engenharia estrutural, entre outros.

A OTC é um dos mais famosos eventos do mercado de offshore, abrangendo as áreas de exploração, perfuração, produção e proteção do meio ambiente.

Ten successful years of cooperation

Celebrating a successful partnership that has spanned more than 10 years, OCEANICA and MARIN recently took time to commemorate their joint work for the development and aplication of the state of art techniques and technologies on naval and matitime projects.  Both parties acclaimed their ongoing partnership for its successes in more than 50 projects.

Over the course of a decade more than 40 different ports, terminals and routes have been studied trough a range of activities such as fast-time and real-time simulations, crew and pilots training, sea trials, scale model tests, and workshops. OCEANICA’s most successful initiatives have been adding value to the port facilities using a unbiased and technical approach.

Daniel Cueva, OCEANICA director said: “MARIN has been a true partner and we are incredibly grateful for its support. We look forward to continuing our mutually beneficial partnership, bringing the most advanced tools and great personell to our joint activities for many years to come.”

MARIN is pleased to look back at 10 successful years of cooperation with Oceânica. It has resulted into easy excess to MARIN expertise for the Brazilian maritime industry in the field of offshore hydrodynamics and waterway & port development. By means of our jointly operated bridge simulator in São Paulo we are able to help our clients make cleaner, safer and smarter ships, ports and waterways, comments Timo Verwoest.