Blog

Oceânica foi a grande responsável por etapas do projeto, construção e testes da P74

A P-74, primeiro sistema definitivo que irá produzir sob contrato da Cessão Onerosa, teve a extração do primeiro óleo nos últimos dias.

A unidade do tipo FPSO possui 326,2 metros de comprimento e 56,6 metros de largura e foi projetada para operar com capacidade para processar 150 mil barris de óleo por dia e 6 milhões de Mm3/d de gás.

Mantendo o longo histórico de projetos offshore, a OCeânica participou ativamente das atividades de engenharia nas grandes operações envolvidas até a chegada deste momento. Com grande destaque para análises estruturais, arquitetura naval, transporte dos módulos, controle de lastro, simulações real time, e operações especiais relacionadas ao teste de inclinação e à saída, planejados e conduzidos por sua equipe com extrema eficiência dentro das restritas janelas meteorológicas da região. O planejamento minucioso e condução precisa das operações gerou economias de tempo e capital durante a integração da unidade, que se destaca pelo tamanho e capacidade de produção e armazenamento.

“A correta condução dos trabalhos relacionados à arquitetura naval e estruturas é o que pode fazer a diferença entre se cumprir ou não com a expectativa de armazenamento de óleo de um FPSO. É muita responsabilidade e existe muito trabalho a ser feito. Temos orgulho de fazer parte da história offshore do Brasil e estamos prontos para suprir o crescimento do mercado com eficiência, equipe multidisciplinar, tradição e muito conhecimento técnico” afirmou Afonso Cabrera da Oceânica.

Além da performance da plataforma, a performance do estaleiro também é afetada com o desempenho dessas atividades. Procedimentos e equipamentos específicos projetados para cada operação podem maximizar a capacidade e velocidade de produção dos estaleiros.

A Oceânica, empresa Brasileira que investe em tecnologia e desenvolvimento de mão de obra capacitada localmente, possui extensa experiência em projetos de FPSO, desde a concepção do casco até operações durante a integração. Já foram mais de 25 projetos de FPSOs dentro e fora do Brasil, incluindo as plataformas Replicantes e da Cessão Onerosa da Petrobras.

Deixe um comentário